Archive for fevereiro \16\+00:00 2011

h1

Novos Vídeos

fevereiro 16, 2011

Angella Conte
EntreTempos
Fotografia 150x80x5cm
vídeo duração 16’03’’
julho/2010

O tempo passa por nós.
Contudo, nos atravessa de formas distintas.
Olhares e ângulos esculpem e o enxergam de formas particulares.

Neste trabalho a artista vale-se de olhares especiais e cede a privilegiados impulsos de capturar o tempo. Através da janela de um avião e curtos períodos de observação a uma mesma paisagem, ela mostra o tempo através de olhares opostos: terra e céu.

As fotografias (150X80X5cm) observam a transformação do tempo ao passar por uma tarde ensolarada. Tiradas em terra colocam o homem como mero observador da passagem do tempo. Já o vídeo trás o tempo visto de cima e mais intimamente. O que remete a grandeza , ao “sem fim” e ao mesmo tempo coloca o homem como parte do próprio tempo.

Tempo esse, que vive-se e sente-se cada um ao seu modo.

Apresentação- trabalho mostrado junto, fotografia ao lado de um DVD player portátil com o vídeo em loop.

Angella Conte
Between Times
Photography 150x80x5cm
Video duration 16’03’’
july/2010

The time passes by us.
However, it goes through us in different shapes.
Perspectives and angles sculpt and see it in particular ways.
In this work the artist gets a special look and gives privileged impulses to capture time. Through the window of an airplane and short periods of observation to the same landscape, she shows the time through opposite look: earth and sky.

The photographs (150x80x5cm) observe the transformation of time during a sunny afternoon. Taken on land put the men as a mere observer of the passing of time. The video brings the time viewed from above and more intimately. What leads to greatness, “without end” and at the same time puts the men as part of their time.

Time the one, we live and feel each one in their way.

Presentation – work shown together, photography next to a portable DVD player with a video loop.

Angella Conte
Outro Tempo mesmo Tempo
Vídeo
Duração 4’20’’
2010

Trata-se de um vídeo com imagens gravadas no ambiente de trabalho diário da artista.
São registradas cenas cotidianas, estas mesmas cenas são posteriormente projetadas, neste mesmo ambiente em outro dia durante o trabalho da artista. Novas imagens são capturadas fundindo-as e tornando uma só. Ao mesmo tempo o real e o virtual.

Angella Conte
Another time the same time
Video
Duration 4’20’’
2010

This is a video with images recorded in the daily working environment of the artist.
It is captured day by day scenes, these same scenes are after projected, in this same environment another day during the artist’ work. New images are captured mixing them becoming one. At the same time the real and virtual.

Ainda Pulsa
Angella Conte
6’53’’
2010

Imagens de uma floresta que foi um dia intacta, imagens de uma floresta que aos poucos vai se perdendo, imagens de uma floresta que está por um fio. Em seus caules ainda corre a seiva, ainda há vida, ainda pulsa…………..

Tudo tão parado e tão mexido. Calor intenso e úmido, silêncio e tensão, sensação de inúmeros olhos me observando, ora amedronta ora cega tamanha beleza.

Imagens obtidas na floresta Amazônica, sua vegetação, o solo, a luz que entra por entre as folhas, as raízes que se enroscam, as árvores que buscam a luz e com suas sombras protegem sementes, abrigam animais, se impõem e se sustentam.

Respiram o ar da incerteza.

Still beating
Angella Conte
6’53’’
2010

Images of forest that one day was intact, images of forest that slowly is being lost, images the forest that is hanging by a tread. In its stem still runs the sap, there is still life, still beating.

Everything so still and so mixed. Intense heat and wet, silence and tension, sensation of plenty of eyes observing me, sometimes scares sometimes blind such beauty.

Images taken in the Amazon forest, its vegetation, the soil, the light that comes between the leaves, the roots that twist, the trees that seeking the light and with its shadows protect the seeds, shelter animals, imposes themselves and maintain.

Breathe the air of the uncertainty.

Angella Conte
Vídeo
Duração:6’08’’
Ano 2010
Imagens- Angella Conte
Trilha sonora- suonato da Francesco Turrisi
Edição – Angella Conte

Que o Tempo Passe Vendo-me Ficar

“As coisas tangíveis tornam-se
insensíveis à palma da mão.
Mas as coisas findas,
muito mais que lindas,
essas ficarão”.
(Memória – Carlos Drummond de Andrade)

O passado se desconstrói no decorrer do presente; mas pode permanecer fiel à memória.
Retornar a um determinado momento através de lembranças, fotos, objetos e imaginação nos remetem a sensações já adormecidas pelo tempo.
Amor, felicidade e tristezas; permanecem no presente de quem costura sua memória como um vestido antigo que se quer guardar.

Esse vídeo retrata a construção/desconstrução desse pensar, da imaginação e das lembranças que rodeiam a vida.

Através de fotos antigas, primeiramente nostálgicas e depois destruídas, as ações e imagens mostram uma tentativa de resgate do passado e ao mesmo tempo a destruição deste passado.

Angella Conte
Video
Duration – 6’08’’
Year – 2010
Images – Angella Conte
Music- suonato da Francesco Turrisi
Edition – Angella Conte

Que o Tempo Passe Vendo-me Ficar (As the time passes by watching me stay)

“Things become tangible
insensitive to the palm.
But things rifts,
Much more than beautiful,
These will stay”
(Memory – Carlos Drummond de Andrade)

The past is deconstructed in the course of the present, but can remain faithful to memory.
Return to a specific time through memories, pictures objects and imagination take us back to feeling already asleep by the time.
Love, happiness and sorrow, that remain in the present of a person that sew her image as an old dress that you want to keep.

This video shows the construction/deconstruction of thinking, imagination and memories surrounding life.

Through old photos, nostalgic first and then destroyed, the actions and the images show an attempt to rescue the past and at the same time the destruction of the past.

h1

4º Prêmio CNI SESI Marcantonio Vilaça

fevereiro 4, 2011
Definidos os 30 finalistas do 4º Prêmio CNI SESI Marcantonio Vilaça

 

Brasília – A Comissão de Seleção do 4º Prêmio CNI SESI Marcantonio Vilaça para Artes Plásticas, promovido peloServiço Social da Indústria (SESI) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI), definiu nesta terça-feira, 2 de fevereiro, os 30 finalistas da edição 2011/2012. O júri foi composto pelos especialistas em arte contemporânea Grace Maria Machado de Freitas, Fernando Oliva e Josué de Mattos e teve a coordenação do curador, Celso Fioravante.

O estado de São Paulo tem 17 representantes na final. Quatro artistas são de Pernambuco. Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul têm dois classificados cada. Os estados do Pará, Paraíba, Minas Gerais, Goiás e o Distrito Federal contam com um finalista. “A presença de classificados de todas as regiões revela que nossa proposta está consolidada”, avalia a gerente de Cultura do SESI, Cláudia Ramalho.

Ainda neste mês será formado um novo júri, que escolherá os cinco vencedores. Os premiados serão selecionados no início de março, em Goiânia, durante a última exposição itinerante do Prêmio anterior, no Centro Cultural da Universidade Federal de Goiás (UFG). Realizado de dois em dois anos, o prêmio, que concede bolsa de trabalho de R$ 30 mil para cada um dos escolhidos, prevê duas etapas. No primeiro ano de trabalho, críticos e curadores de arte orientam os vencedores na produção de suas peças. No segundo ano, são realizadas exposições itinerantes por seis capitais.

Os finalistas da edição 2011-2012 são:

Ana Elisa Egreja – São Paulo
André Komatsu – São Paulo
Angela Conte – São Paulo
Bruno Faria – Pernambuco
Bruno Vilela – Pernambuco
Carla Zaccagnini – São Paulo
Carlos Eduardo Felix da Costa (Cadu) – Rio de Janeiro
Cristiano Lenhardt – Rio Grande do Sul
Deyson Gilbert – Pernambuco
Elder Rocha – Distrito Federal
Felipe Cohen – São Paulo
João Loureiro – São Paulo
Jonathas de Andrade – Pernambuco
Laerte Ramos – São Paulo
Laura Andreato – São Paulo
Laura Belém – Minas Gerais
Marcelo Moscheta – São Paulo
Marcelo Solá -Goiás
Marcius Galan – São Paulo
Marcone Moreira – Pará
Maurício Ianês – São Paulo
Michel Zózimo da Rocha – Rio Grande do Sul
Nazareno Alves – São Paulo
Paulo Nenflídio – São Paulo
Rodrigo Matheus – São Paulo
Tamara de Souza Andrade – São Paulo
Tiago Judas – São Paulo
Vicente de Mello – Rio de Janeiro
Wagner Malta Tavares – São Paulo
Walter Wagner – Paraíba